Copyright da imagem
NASA

Os astronautas foram acordados durante a noite para continuar procurando por um vazamento de ar na Estação Espacial Internacional (ISS).

Os membros da tripulação têm procurado a natividade por várias semanas.

Mas a procura se intensificou quando o tamanho do vazamento pareceu aumentar na segunda-feira; esse erro de leitura acabou sendo causado por uma mudança de temperatura a bordo da ISS.

A estudo das equipes de terreno localizou o vazamento na espaço de trabalho principal dentro de um módulo ISS russo chamado Zvezda.

Este módulo contém equipamento de suporte de vida para a estação espacial e também abriga quartos para dois membros da tripulação.

Análises adicionais serão necessárias para estabelecer a espaço exata de onde o ar escapa.

A NASA enfatizou que não representava transe repentino para a tripulação na atual taxa de vazamento e só causará um ligeiro meandro do cronograma de trabalho contínuo da tripulação.

Copyright da imagem
NASA

Pequena foto

O astronauta da NASA e ex-foca da Marinha Chris Cassidy liderou a procura pela fuga a bordo da ISS

O astronauta e comandante da estação da NASA, Chris Cassidy, e os cosmonautas da filial espacial russa (Roscosmos) Anatoly Ivanishin e Ivan Vagner foram obrigados a se trasladar para o segmento russo para coletar dados. em vários lugares dos módulos russos.

Um por um, a tripulação fechou as escotilhas entre as seções de popa e frente do Zvezda, junto com os corredores para outros compartimentos e módulos, usando um detector de vazamento ultrassônico para coletar dados.

Foi a terceira vez em pouco mais de um mês que a tripulação teve que se isolar do lado russo, na tentativa de encontrar o vazamento crescente.

As medidas de pressão foram analisadas durante a noite para tentar isolar a natividade do vazamento. Quando as verificações noturnas foram concluídas, a tripulação reabriu as escotilhas entre os segmentos americano e russo da estação, retomando suas atividades normais.

Não é a primeira vez que membros da tripulação da ISS procuram uma fuga.

Em agosto de 2018, os astronautas descobriram um buraco de 2 mm em uma segmento da espaçonave russa Soyuz ancorada na estação espacial na era.

O furo, junto com as marcas de perfuração próximas, parecia ter sido um defeito de fabricação. Os membros da tripulação o fixaram com resina epóxi durante o resto do tempo em que o Soyuz ficou aportado na estação espacial.

Este item foi reescrito, traduzido de uma publicação em inglês. Clique cá para acessar a material original (em inglês)!