Uma competição recente patrocinada pela escritório vernáculo para a Construção de Cidades Administrativas teve porquê objetivo encontrar um projeto abrangente para o novo Museu Coreano de Arquitetura e Urbanismo (KMUA) em Sejong, Coreia do Sul. A equipe vencedora foi anunciada recentemente, juntamente com os planos do projeto.

Continue lendo subalterno

Nossos vídeos em destaque

O projeto final veio de uma equipe de Alejandro Zaera-Polo, Maider Llaguno Munitxa, Ivaylo Nachev, Carlota Mendez, Claudia Baquedano e Claudia Zucca do AZPML, em colaboração com Yukyung Kim do UKST. Deles design virente ele se concentra diretamente em iluminar a arquitetura porquê ciência e arte, enquanto respeita a história e o meio envolvente da Coreia.

Relacionado: O Academy Museum of Motion Pictures obtém a certificação LEED Gold

Uma representação da passarela em frente ao novo KMUA.

A equipe tentou resolver o problemas ambientais causada pelo entendimento da urbanização de que as cidades são responsáveis ​​por tapume de 70% das emissões globais de carbono e 66% do consumo de vontade. Qual a melhor maneira de realçar o problema do que projetar o KMUA porquê um exemplo de arquitetura ambientalmente responsável?

Representação de um pátio verde próximo ao novo KMUA, com um pavilhão coreano vermelho no centro.

Com essa teoria fundamental, a equipe trabalhou com base em quatro objetivos principais. O primeiro objetivo era exemplificar as melhores práticas em construção, incluindo mineração urbana, preservação de recursos e redução da vontade embutida, emissões de carbono, resíduos de construção e poluição. Colocando em prática, a equipe projetou grandes andaimes com aço reaproveitado de edifícios desativados. Esta estrutura irá acoitar exemplos de arquitetura real. aliás, a iluminação oriundo é combinada com níveis externos e claraboias internas.

O canto da fachada KMUA.

O segundo objetivo era homenagear a arquitetura coreana com tetos Hanok tradicionais. Dada a localização e finalidade do prédio, a equipe priorizou a geração de uma estrutura que se adequasse ao quadro.

Uma perspectiva voltada para fora do edifício KMUA.

aliás, a equipe pretendia homenagear uma quadra de desenvolvimento coreano que viu uma economia vernáculo destruída se tornar um exemplo para o mundo. Muito disso aconteceu urbano transformação, e o KMUA será uma homenagem a esse prolongamento.

Uma exposição com estruturas de malha branca dentro do edifício KMUA.

O quarto objetivo do projeto era gerar um espaço que não funcionasse unicamente porquê um museu, mas também proporcionasse instalações educacionais, multimídia e para oficinas. Principalmente um exibição espaço, a estrutura abrigará exposições permanentes e giratórias de elementos arquitetônicos.

Uma exposição dentro do edifício KMUA.

Em suma, o museu incluirá exemplos de arquitetura tanto nos expositores porquê no próprio prédio. compreender eficiência energética, o prédio usará vidros e ventilação oriundo. aliás, o gabinete do prédio é projetado porquê uma membrana vitrificada de tá desempenho do soalho ao teto, com respiros de recuperação de calor embutidos.

Uma exposição com estruturas brancas dentro do edifício KMUA.

Demonstrando dedicação à construção sustentável, toda a estrutura obedecerá à princípio do Projeto para Desmontagem. Isso significa que os materiais usados ​​na construção podem ser desmontados e reutilizado no final de sua vida útil porquê segmento do KMUA.

+ AZPML

Através da ArchDaily

Imagens usando AZPML

Este item foi reescrito, traduzido de uma publicação em inglês. Clique cá para acessar a material original (em inglês)!