O chefe de direitos humanos das Nações Unidas condenou "ataques verbais" contra a adolescente ativista ambiental Greta Thunberg, depois de pedir ao governo que leve a sério a ameaça representada pelas mudanças climáticas.

Michelle Bachelet, Alta Comissária da ONU para os Direitos Humanos, alertou na segunda-feira durante seu discurso ao Conselho de Direitos Humanos que a mudança climática se tornou uma ameaça sem precedentes às liberdades em todo o mundo.

"O mundo nunca viu uma ameaça aos direitos humanos desse escopo", disse Bachelet. “Não é uma situação em que qualquer país, instituição ou legislador possa ficar à margem.

"Estamos queimando nosso futuro – literalmente".

Bachelet então se voltou para críticas a ativistas ambientais, censurando "ataques verbais a jovens ativistas como Greta Thunberg e outros".

A adolescente sueca Thunberg se tornou a garota-propaganda de uma onda renovada de ativismo ambiental juvenil em todo o mundo, depois de ter desencadeado o movimento de 'greves nas escolas climáticas' no início deste ano.

Mas como ela cresceu em fama – acumulando 1,4 milhão de seguidores até o momento no Twitter -, a reação de algumas figuras públicas se tornou mais cruel.

Durante sua recente viagem de iate para Nova York para participar de uma Cúpula de Ação Climática da ONU, que começará em 23 de setembro, o empresário que apoia o Brexit, Arron Banks, twittou: “Acidentes de iatismo surgem em agosto …”.

Antes de um discurso no parlamento francês em julho, um dos vários sermões que ela deu aos líderes políticos, alguns parlamentares de extrema-direita e conservadores fizeram um boicote e lançaram insultos, chamando-a de "Justin Bieber da ecologia" e "profetisa". calção".

Thunberg, que tem Aspergers, também revidou. No mês passado, quando uma colunista de jornal a chamou de "profundamente perturbada", ela respondeu perguntando: "Onde estão os adultos?".

Em seu discurso, Bachelet também se juntou ao clamor global nas últimas semanas sobre o presidente da extrema-direita Jair Bolsonaro por lidar com incêndios que continuam a devastar a floresta amazônica.

Michelle Bachelet, o Alto Comissariado da ONU para os Direitos Humanos, criticou Greta Thunberg em um discurso ousado (REUTERS)

“Os incêndios atualmente em toda a floresta tropical podem ter um impacto catastrófico sobre a humanidade como um todo”, disse Bachelet, “mas seus piores efeitos são sofridos pelas mulheres, homens e crianças que vivem nessas áreas, entre elas muitos povos indígenas. "

Bachelet, ex-presidente do Chile, instou as autoridades do Brasil e do Paraguai e Bolívia a garantir que "políticas ambientais de longa data" sejam realizadas, "evitando assim tragédias futuras".

Ela também falou do seu "alarme" contra crianças migrantes ainda detidas em centros de detenção nos Estados Unidos e no México, expressando preocupação de que as políticas dos Estados Unidos, México e outros da região "estejam colocando os migrantes em risco aumentado de violações dos direitos humanos. e abusos ".

O governo Trump retirou os Estados Unidos do conselho no ano passado, acusando-o de um viés anti-Israel e denunciando alguns estados membros que Washington diz serem violadores de direitos repetidos.

Relatórios adicionais da AP

Esta matéria foi traduzida e republicada. Clique aqui para acessar o site original.