Médicos que apóiam o movimento de Rebelião da Extinção bloquearam o Departamento de Negócios, Energia e Estratégia Industrial para destacar o impacto das mudanças climáticas na saúde pública.

Trinta médicos de todo o Reino Unido aderiram ao protesto na quarta-feira para pedir ao governo que tome medidas rápidas para criar um serviço de saúde neutro em carbono.

Dois médicos escalaram o prédio para se colar à varanda de vidro sobre a entrada, enquanto vários outros seguravam uma faixa onde se lia "a inação do governo custará milhares de vidas".

Respiratório

Os manifestantes disseram à polícia que não se mudariam até que um representante do departamento falasse com eles.

Rachel Cottam, GP de Brighton, disse à agência de notícias PA: "O NHS é o maior emissor do setor público, da mesma forma a mudança climática é uma emergência de saúde pública e sete milhões de pessoas morrem globalmente devido à poluição do ar.

"Os últimos quatro anos foram os mais quentes já registrados, este mês de julho foi o mais quente já registrado e não é surpresa que tenhamos visto o nível mais alto de admissões de A&E. Para cada grau de aquecimento, há um aumento de 3,4% na mortalidade por doenças cardiovasculares e uma Aumento de 3,6% na mortalidade respiratória.

Saúde

"O maravilhoso é que o que precisamos fazer para combater as mudanças climáticas é incrivelmente bom para nossa saúde. Pare de comer carne, é a maior causa de câncer de cólon; pare de dirigir nossos carros e caminhar, combatendo diabetes e obesidade".

"A emergência climática está intimamente ligada a todos os aspectos da nossa saúde".

Chris Newman, um dos dois homens colados ao prédio, disse em um comunicado: "O colapso climático e ecológico representa uma das maiores ameaças à saúde pública que o mundo já enfrentou. No entanto, o governo está deixando de tomar medidas significativas para proteger seus direitos". cidadãos.

"Protestos pacíficos não violentos como hoje são intervenções essenciais de saúde pública para levar o governo a tomar medidas imediatas".

Este autor

Tess de la Mare é repórter da PA.

Esta matéria foi traduzida e republicada. Clique aqui para acessar o site original.