Poça de óleo na praiaDireitos autorais da imagem
Governo do Estado de Sergipe

Legenda da imagem

Poças de óleo foram encontradas em praias do litoral nordeste do Brasil

As autoridades brasileiras estão investigando a fonte de um vasto derramamento de óleo que atingiu dezenas de praias ao longo da costa nordeste do país.

A análise mostrou que o óleo encontrado não era produzido no Brasil, informou a agência ambiental Ibama.

Não há evidências de que peixes e moluscos tenham sido contaminados, mas pelo menos seis tartarugas marinhas e uma ave marinha foram mortas.

Uma operação de limpeza está em andamento nas áreas afetadas.

O vazamento, detectado pela primeira vez em 2 de setembro, abrange mais de 1.500 km (932 milhas) e foi detectado em 105 locais em oito estados, afetando a vida selvagem e as praias populares, incluindo a Praia do Futuro, no Ceará, e Maragogi, em Alagoas.

  • Multas por crimes ambientais caem sob Bolsonaro

Análise molecular do óleo pela Petrobras, a estatal brasileira mostrou que o petróleo derramado não se originou no país, informou o Ibama em comunicado.

O teste também determinou que o óleo veio de uma única fonte que ainda não foi identificada.

Direitos autorais da imagem
Governo do Estado de Sergipe

Legenda da imagem

Dois barris de petróleo foram encontrados no litoral de Sergipe

O petróleo bruto é testado antes de ser exportado para garantir que segue os padrões da refinaria para a qual está sendo enviado e pode ser identificado por seus elementos químicos, relata a agência de notícias Reuters.

As autoridades acreditam que o vazamento poderia ter sido causado por um navio-tanque que transportava petróleo para longe da costa. Dois barris de petróleo foram encontrados em duas praias do estado de Sergipe, disseram autoridades locais.

Os banhistas e pescadores foram convidados a evitar o material.

Duas tartarugas marinhas resgatadas vivas foram devolvidas ao mar por banhistas, enquanto outra foi enviada para um centro de reabilitação.

Dizia-se que a situação era estável no estado mais afetado, o Rio Grande do Norte, enquanto os esforços estavam agora concentrados no Maranhão – parte da região da floresta amazônica – onde novos derramamentos estavam sendo relatados.

"Nunca tivemos um acidente como esse no Brasil … É a primeira vez que estamos vendo um acidente com uma fonte indeterminada que afeta tantos estados ", disse a coordenadora do Ibama, Fernanda Pirillo, segundo a agência de notícias Agência Brasil.

A Petrobras disse que vai empregar cerca de 100 funcionários no esforço de limpeza, apesar de não estar envolvida no derramamento.

Estados afetados por derramamento de óleo

1 – Sergipe; 2 – Alagoas; 3 – Pernambuco; 4 – Paraíba; 5 – Rio Grande do Norte; 6 – Ceará; 7 – Piauí; 8 – Maranhão

Anna Carolina Lobo, coordenadora do programa de marinha do grupo de conservação da WWF no Brasil, disse que o caso expunha a fragilidade do sistema de vigilância do país.

"O Brasil tem poucos barcos e analistas para acompanhar o que acontece em nossas águas" Lobo foi citada pela Associated Press como tendo dito.

Ela disse que o apoio estatal a essa vigilância recuava ainda mais sob o governo do presidente de extrema direita Jair Bolsonaro.

O presidente, que assumiu o cargo em janeiro, criticou repetidamente o trabalho de grupos não-governamentais e ativistas e cortou o orçamento de agências ambientais, incluindo o Ibama.

Você também pode achar interessante

A reprodução de mídia não é suportada no seu dispositivo

Legenda da mídiaPor que a floresta amazônica ajuda a combater as mudanças climáticas

Esta matéria foi traduzida e republicada. Clique aqui para acessar o site original.