Partículas de carbono preto foram encontradas no lado do bebê da placenta em mulheres expostas à poluição do ar durante a gravidez, dizem os cientistas.

Mas são necessárias mais pesquisas para determinar se eles são capazes de alcançar o feto.

Os pesquisadores dizem que a transferência de partículas através da placenta já foi sugerida antes – mas até o momento, não existem evidências diretas no contexto humano da vida real.

Exposto

Um estudo observacional publicado na Nature Communications analisou 28 mulheres.

O professor Tim Nawrot, da Universidade Hasselt, na Bélgica, e seus colegas usaram imagens de alta resolução para detectar partículas de carbono preto nas placentas coletadas de cinco nascimentos pré-termo e 23 nascimentos a termo.

Eles descobriram que 10 mães que foram expostas a altos níveis de partículas residenciais de carbono preto – 2,42 microgramas por metro cúbico – durante a gravidez apresentaram níveis mais altos de partículas na placenta do que 10 mães expostas a baixos níveis de carbono preto residencial – 0,63 microgramas por cúbico metro.

Partículas

Partículas de carbono preto são liberadas todos os dias no ar, em grande parte pela combustão de combustíveis fósseis. Pensa-se que estes podem ter efeitos prejudiciais no resultado da gravidez.

Os pesquisadores dizem que é importante entender como essas partículas afetam a gravidez – por meio de efeitos diretos no feto ou indiretos pela mãe – para melhorar os cuidados com a gravidez em áreas poluídas.

Os autores escreveram: "Nossos resultados demonstram que a barreira placentária humana não é impenetrável para partículas.

Bem-estar

"Nossa observação baseada nas condições de exposição na vida real está de acordo com estudos ex vivo e in vivo previamente relatados que estudam a transferência placentária de várias nanopartículas".

Andrew Shennan, professor de obstetrícia do King's College London (KCL), disse: "Pequenas partículas, como o fumo, podem causar doenças consideráveis ​​relacionadas à placenta, e esses achados de partículas na placenta são uma preocupação.

"Seus possíveis efeitos no bebê e na mãe justificam uma investigação mais aprofundada. A placenta é a interface entre mãe e bebê e é essencial para nutrir e apoiar todas as necessidades do bebê.

"Tanto a função quanto a estrutura da placenta são importantes, não apenas para o crescimento e o bem-estar do bebê, mas também para a mãe. A pressão alta e a convulsão na gravidez estão ligadas à poluição doméstica".

Este autor

Nina Massey é a correspondente científica da AP.

Esta matéria foi traduzida e republicada. Clique aqui para acessar o site original.